Osteopenia: o que é, causas, sintomas e tratamentos

A osteopenia é uma doença caracterizada pela perda de densidade mineral óssea. Isso ocorre porque, até a terceira década de vida, nossos ossos passam por um processo de regeneração acelerado e regulam sozinhos a perda de massa óssea.

No entanto, a partir daí, ocorre uma baixa no equilíbrio entre a produção e reabsorção das células, o que acaba por tornar o tecido ósseo mais frágil. Diante deste cenário, a osteopenia surge como uma condição clínica anterior à osteoporose, e que pode comprometer severamente a qualidade de vida de um indivíduo.

Reprodução da matriz óssea

Existem três principais células responsáveis pela reprodução da matriz óssea: os osteoblastos, os osteócitos e os osteoclastos.

Enquanto os osteoblastos produzem e depositam colágeno e minerais (como cálcio e fósforo), os osteócitos representam as células já maduras e capazes de regular a quantidade de material presente no tecido ósseo. Por fim, os osteoclastos reaproveitam a matéria-prima envelhecida e as substituem por novas matrizes.

Porém, com o passar dos anos, este processo de decomposição e reconstrução se desequilibra, de maneira que a produção das células ósseas novas não acompanha mais o ritmo acelerado de reabsorção dessas células. Desta maneira, a osteopenia torna os ossos mais porosos, aumentando, assim, o risco de fraturas.

Sistema de reprodução da matriz óssea

Causas da osteopenia

Mais comum entre as mulheres no climatério (período pós-menopausa), quando a queda dos níveis de estrogênio leva à dificuldade de absorção do cálcio, a osteopenia também afeta homens acima dos 60 anos. Além disso, existem alguns outros fatores de risco para a doença:

  • Uso prolongado de medicamentos como anticonvulsivantes, corticosteróides e hormônios;
  • Baixo peso e estatura corporal;
  • Histórico familiar de osteoporose;
  • Tabagismo e álcool;
  • Quimioterapia;
  • Doenças da tireóide;
  • Doenças renais;
  • Doenças hepáticas;
  • Desnutrição;
  • Sedentarismo;

Sintomas de osteopenia

Em geral, a osteopenia não apresenta sintomas. Infelizmente, na maioria dos casos, quando a condição é descoberta, o paciente já apresenta uma densidade mineral óssea comprometida, caracterizando muitas das vezes, um quadro de osteoporose. Contudo, é possível que a doença se manifeste por meio de dores, deformidades ósseas ou fraturas.

Diagnóstico de osteopenia

Por se tratar de uma doença silenciosa, o diagnóstico de osteopenia é feito através do exame de densitometria óssea. A densitometria é um exame simples em que, por meio de uma máquina semelhante a de um Raio-x, mede-se a densidade óssea por centímetro quadrado em regiões definidas pelo médico, como fêmur, coluna lombar, antebraço, terço distal do rádio e demais outras áreas propensas a fraturas.

O exame em questão avaliará a saúde dos ossos e poderá diagnosticar perdas de massa óssea com antecedência, controlando assim, o grau da doença, para que esta não venha a se tornar uma osteoporose. Há dois parâmetros importantes a se avaliar na densitometria:

  1. T-Score é a “nota” da densidade óssea do paciente comparada a adultos jovens do mesmo sexo e etnia.
  2. Z-Score é a “nota” da densidade óssea do paciente comparado com as pessoas da mesma faixa etária, sexo e etnia.

*DP: Desvio padrão

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica como “osteopenia” os resultados de densidade mineral dos ossos entre -1DP e -2,5DP, sendo valores até -1% considerados dentro dos parâmetros normais ao avanço da idade. Para cada desvio padrão abaixo da média, eleva-se de 1,5 a 3x o risco de fraturas osteoporóticas, dependendo do osso analisado.

Tratamento da osteopenia

O grande objetivo do tratamento da osteopenia é retardar o processo de degeneração óssea a fim de evitar que ela progrida para um quadro de osteoporose. Para isso podemos dividir o tratamento em medicamentoso e não-medicamentoso.

  • Medicamentoso:
    • Medicamentos que auxiliam na retenção de massa óssea, como bisfosfonatos;
    • Suplementação de cálcio e vitamina D.
  • Não-medicamentoso:
    • Consumir alimentos ricos em cálcio e vitamina D, dentre eles derivados de leite, ovos, salmão, atum e cereais;
    • Tomar pelo menos 15 minutos de sol por dia, sem uso de protetor;
    • Praticar atividades físicas.

FAQ – Perguntas frequentes

O que é osteopenia?

A osteopenia é um quadro de redução da densidade mineral óssea, adquirida normalmente ao longo da vida. Se não tratada, pode evoluir para uma osteoporose.

Quem tem osteopenia pode fazer musculação?

Sim, a musculação pode contribuir para o fortalecimento físico do paciente com osteopenia. Contudo, é importante que a atividade seja supervisionada por educadores físicos.

Como tratar a osteopenia?

O tratamento da osteopenia consiste na adoção de hábitos mais saudáveis, além de uma dieta rica em cálcio e vitamina D, além do uso de alguns medicamentos que auxiliam na retenção de massa óssea.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *